Projeto social garante atendimento pré-natal

Projeto social garante atendimento pré-natal para grávidas

Há três anos o Hospital da Sagrada Família – mantido pela Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição (Confhic) – garante a mulheres carentes da Cidade Baixa e regiões próximas atendimento, pré-natal gratuito e encaminhamento para realização de partos com toda a infraestrutura do hospital, que fica em Monte Serrat. O serviço de atendimento ambulatorial é realizado em salas que ficam no Shopping Outlet Center, no Uruguai.

Até então era somente o boca a boca  a forma de anunciar o serviço, contam os profissionais, que garantem não ter sido este o motivo para a baixa procura. Batizado como Projeto Social Sagrada Família, a ação já possibilitou o atendimento de três mil mulheres.

O casal Andreia Marques de Menezes Nascimento, 26, e Gildeson Santos Nascimento ressaltou a importância do atendimento, principalmente casais como eles, que estão na primeira gravidez. “Somos de Fazenda Grande do Retiro e ficamos sabendo deste programa, que é muito bom”, disse Gildeson Nascimento.

O diretor administrativo do Sagrada Família, João Paziam, ressaltou que muitos dos pacientes atendidos enfrentariam dificuldade para se locomover para outros locais
da cidade. “Hoje atendemos 1,5 mil pessoas, com orientação de enfermagem, de cuidados nutricionais, fisioterapia, além do atendimento médico”, disse Paziam.

As mães têm ainda acesso a exames de laboratório e ultrassonografia. Enquanto realizam os exames, recebem ainda cesta básica até o terceiro mês de vida dos bebês, também como incentivo para manter o atendimento.

Consultas mensais - As consultas do pré-natal, que começam mensais, tornam-se quinzenais a partir da 34ª semana de gestação e semanais a partir da 38ª semana. O programa estabelece como meta realizar pelo menos 60% de partos normais. A enfermeira Telma Santana ressaltou que, mesmo com a realização do parto, não finda o atendimento às mães, que recebem orientação sobre planejamento familiar e orientações para a contracepção.

A médica obstetra Ludmila Andrade disse que pressão arterial alta e diabetes gestacional são uma preocupação durante o acompanhamento. “O ideal é que as mães façam pelo menos seis consultas pré-natais”, disse. Por dia, o projeto pode realizar até 120 consultas com a equipe de três médicos disponíveis.

 

Fonte: A tardeuol.com.br

 

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply