“O Código de Trânsito limita a intensidade do soma 70 decibéis, entre às 7h e às 22h, e 60 dB, entre às 22h e às 7h”, explica o técnico da Sucom, José Araújo

Motoristas sem cinto de segurança, motociclistas sem capacete e com a  Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida. Essas foram algumas das  infrações registradas durante uma fiscalização ontem à tarde na Ribeira, realizada através de uma parceria da Sucom, Transalvador, Semop, Grupamentos GOE, GEM e Rondac, da Guarda Municipal e Polícia Militar.

O coordenador da operação, o técnico da Sucom José Araújo, explicou, no entanto, que a maioria das ocorrências registradas estão relacionadas ao som alto emitido pelos carros. “O Código de Trânsito limita a intensidade do soma 70 decibéis, entre às 7h e às 22h, e 60 dB, entre às 22h e às 7h, mas nem todos respeitam esse limite”, disse.

Os motoristas que desrespeitam a lei têmo aparelho de som apreendido e devem pagar entre R$ 600 e R$ 120 mil de multa. Para tentar escapar das penalidades os condutores deram as mais variadas desculpas. “Eu estava como capacete, retirei agora há pouco porque já ia mesmo descer da moto”, afirmou um motociclista antes de ser autuado.

O técnico de refrigeração Felipe Costa,  22 anos, teve o som do carro apreendido por estar acima do limite. O audiodosímetro (aparelho que mede a intensidade do som) acusou 16 decibéis acima do permitido. Ele negou ter cometido a infração. “O aparelho estava no volume 2, não estava alto”, disse.

A operação acontece todos os fins de semana desde o dia 7 de  fevereiro. A ação envolve ainda ações como a desobstrução de calçadas e ciclofaixas e a fiscalização de ambulantes. No total, a equipe registrou 37 ocorrências até às 18h30 de ontem.

 

 

Matéria Original: Correio 24h

Prefeituras se preparam para os festejos juninos em meio à Copa

Mesmo nas cidades mais distantes da capital, que têm festas tradicionais, há expectativa de crescimento de público

Conhecido como o santo festeiro, São João é celebrado no dia 24 de junho, uma terça-feira – faltam 72 dias. Para garantir a comemoração, a expectativa vai ficar por conta do resultado da véspera (dia 23), quando Brasil e Camarões se enfrentam no final da tarde.

Mesmo nas cidades mais distantes da capital, que têm festas tradicionais, há expectativa de crescimento de público. As prefeituras querem fisgar os cerca de 700 mil turistas que devem passar por Salvador para assistir aos jogos. O número é estimado pelo Ministério do Esporte e foi divulgado pela Bahiatursa.

PÚBLICO
A redução do público no interior é algo impensado. “Quem gosta de São João já costuma ir para a festa todo ano e isso não muda. O que estamos buscando é um diferencial”, diz Ednaldo Ribeiro, vice-prefeito de Cruz das Almas, responsável pela coordenação da festa local. Ele garante que até o final de abril a programação será divulgada.
A secretária de Turismo de Lençóis, Michele Nonato, também está otimista. “Lençóis já tem uma tradição de receber o público estrangeiro, então, esperamos o crescimento do número de turistas”, diz.

Há cidades que não só esperam um público maior, como já sentem o crescimento da procura. Também na região da Chapada Diamantina, a prefeitura de Mucugê, por exemplo, diz que seus turistas se anteciparam. “O número de casas já alugadas é grande, mais de 35, e a ocupação das pousadas que já estão todas lotadas mostra que teremos uma procura maior. Esse quadro de ocupação no ano passado só atingimos depois do dia 17 de maio”, explica a secretária de Turismo, Aline Machado.

Com base em anos anteriores, a expectativa é de 10 mil pessoas por noite nas ruas. Em Mucugê, serão dois palcos na praça dos Garimpeiros, com quatro atrações por dia. Apesar dos relatos de gestores, empresários do setor minimizam a ocasião ao dizerem que a tradição da festa é o que tem garantido o crescimento e, não, o Mundial. “O São João é o maior evento do ano. Antes do Carnaval acabaram as reservas aqui (na Pousada Monte Azul).  Vamos organizar telões, mas a Copa não interfere na festa”, comenta o empresário Gotz Von Ammon.

O secretário de Cultura e Turismo de Jequié, Sergio Mehlem, acha que é preciso ter cuidado para o que o turista quer ver. “A Copa é um evento concorrente ao São João, mas os turistas que vêm para o interior querem ver nossas tradições, não a Copa. Haverá elementos dos jogos inseridos na decoração, mas não esqueceremos nossas tradições”, destaca Mehlem.

MAIS DIAS
Outra tendência nos destinos tradicionais do São João da Bahia é a ampliação dos dias de forró. São Francisco do Conde, apostando na publicidade do “pertinho do capital”, ampliou de quatro para seis o número de dias de shows. Bell Marques, Pablo, Asas Livre, Aviões do Forró, Harmonia do Samba, Thiaguinho, As Coleguinhas e a filha de Dominguinhos, Liv Moraes, estão entre as atrações já confirmadas.

Já em Senhor do Bonfim, que em 2013 teve a festa encolhida por conta do período de estiagem, este ano promete um mês de programação, com início em 27 de maio, aniversário da cidade.

“Ao longo do mês, teremos uma noite evangélica, festa nos dois primeiros finais de semana do mês nos bairros, dias 14 e 15 (de junho) teremos o Forró do Comércio e a festa oficial vai de 20 a 24 no Parque da Cidade com grandes atrações nacionais, além do forró na Praça Central, no mesmo período”, detalha Ari Urbano, secretário de Cultura de Senhor do Bonfim. Ari estima um acréscimo de 100 mil pessoas na festa que, segundo ele, contabiliza público médio de 80 mil pessoas nos últimos anos.

Senhor do Bonfim é uma das 15 cidades que estão com decretos de situação de emergência vigentes por conta da estiagem prolongada. No ano passado, artistas tiveram os contratos cancelados por conta da recomendação do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) de redução ou suspensão dos gastos municipais com os festejos juninos pensando na necessidade de atenção à população que estava sofrendo com a falta de água que foi considerada, na Bahia, a pior dos últimos 47 anos.
Em Bom Jesus da Lapa, também na lista de emergência e que tem uma festa de São Pedro tradicional, a prefeitura pretende contar com o apoio do comércio local para manter a festa a baixos custos.

TELÕES
A ideia dos telões em espaços abertos à população contempla uma torcida completa, com atrações musicais locais nos intervalos. Em Amargosa, onde a festa usará como tema uma homenagem ao artesanato baiano, já estão definidos quatro telões de LED que irão ficar na Praça do Bosque, local habitualmente ocupado pelos forrozeiros nesta época.
Em São Francisco do Conde, os espaços com telões vão ser inaugurados no dia 12, quando o Brasil joga contra a Croácia, em São Paulo, na abertura do Mundial. “Será um espaço na Orla da cidade, temático, com elementos da cultura popular mesclados com os da Copa do Mundo”, explica Sandra Pitanga, secretária de Cultura de São Francisco do Conde. Dentro da Região Metropolitana de Salvador, Camaçari ainda não tem definições sobre a festa este ano, apesar de seus festejos sempre atraírem bastante pessoas, a maioria da capital.

INVESTIMENTOS

Fernando Ferrero, presidente da Bahiatursa, considera a coincidência do calendário de festas juninas com o da Copa  “uma oportunidade de mostrar o São João da Bahia para o mundo”. Ele lembra que  o Ministério do Esporte divulgou que mais de 170 mil estrangeiros compraram ingresso para assistir aos jogos na Bahia. “Temos delegações que estarão em outras cidades, como a Alemanha, que vai ficar em Porto Seguro”, destaca. O CT está sendo contruído  em Santa Cruz Cabrália.

A estimativa é que entre R$  4 e R$ 5 milhões sejam investidos pelo governo do Estado nas festas do interior. O valor deve ser distribuído entre 120 cidades. As prefeituras que estejam adimplentes têm até sexta-feira para pedirem, com apresentação de projetos, financiamento da celebração verde-amarelo de São João.

 

Matéria Original: Correio 24h

Radialista de Jequié morre em capotamento de veículo na BR-330

O veículo transportava a equipe de esporte da rádio 93 FM, de Jequié. Mais duas pessoas estavam no carro, mas tiveram ferimentos leves.

Um acidente na BR-330 deixou uma pessoa morta na noite do último sábado (12), na região de Jequié, a cerca de 360 quilômetros de Salvador.  O radialista Osvaldo Nascimento Filho, 56 anos, era um dos passageiros do veículo modelo Uno Way e morreu no local.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente aconteceu por volta de 21h, nas proximidades da cidade de Jitauna. O motorista do carro e outro passageiro tiveram ferimentos leves e não correm perigo de morte.

O veículo transportava a equipe da rádio 93 FM, de Jequié. Eles voltavam da cobertura de uma partida de futebol, no município de Ilhéus. Ainda de acordo com a PRF, o veículo capotou e parou fora da estrada.

 

 

Matéria Original: Correio 24h

Semana Santa: 110 mil pessoas devem deixar capital no feriado

 

Serão disponibilizados 300 horários extras, além dos 540 horários regulares cumpridos diariamente

 

No período da Semana Santa, entre 17 e 22 de abril, mais de 110 mil pessoas devem embarcar no Terminal Rodoviário de Salvador para passar o feriado no interior do estado. Serão disponibilizados 300 horários extras, além dos 540 horários regulares cumpridos diariamente.

Segundo a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), os destinos mais procurados são Itacaré, Ilhéus, Porto Seguro, Lençóis, Vitória da Conquista, Juazeiro, além das inúmeras localidades compreendidas ao longo da BA – 099, Estrada do Coco e todo Litoral Norte, e o Recôncavo Baiano. Ainda de acordo com a Agerba, a procura antecipada de passagens já começou.

A Agerba recomenda aos usuários do Sistema de Transporte Intermunicipal de Passageiros que procurem antecipar a compra dos bilhetes de passagens, evitando, assim, filas nos guichês. É importante também que os passageiros procurem chegar à Estação Rodoviária de Salvador com antecedência mínima de 20 minutos do horário marcado para viagem, evitando possíveis transtornos no momento do embarque.

Em casos de dúvidas, reclamações, sugestões e elogios, os usuários poderão procurar os postos da Agerba, localizados no Terminal, ou utilizar a Ouvidoria, através do 0800 071 00 80.

 

Matéria Original: iBahia.com

Quadrilha que atacava fazendas no interior é presa em operação

Cinco integrantes do grupo foram presos. Um adolescente também foi apreendido

Cinco integrantes de uma quadrilha envolvida em assaltos a propriedades rurais, tráfico de drogas e homicídios, na região de Jacobina, no Centro Norte da Bahia, foram presos em operação da Polícia Civil. Um adolescente também foi apreendido. Com eles, os policiais encontraram cinco armas, três delas de grosso calibre, mais de 6 kg de maconha, meio quilo de cocaína e 200 gramas de crack.

Segundo a polícia, no momento da prisão, Antonio Luiz Teixeira Leite Júnior, o “Juninho”, 22 anos, um dos líderes do bando, Anderson Santos Silva, 18, Clebson Santos de Jesus, 20, Adailton de Souza, 22, Francisco Carneiro dos Santos Filho, 23, e um garoto de 17 anos estavam com as drogas, armas e diversos eletrodomésticos provenientes dos assaltos às fazendas da região.

 

A polícia apurou que Clebson já cumpriu pena na Penitenciaria Lemos de Brito, em Salvador, e Francisco é fugitivo da Delegacia de Capim Grosso, onde estava preso por homicídio. O garoto foi encaminhado ao Ministério Público. Os demais foram autuados pelo delegado Humberto Marino por tráfico de drogas, associação para o tráfico, porte ilegal de armas e formação de quadrilha.

Desdobramentos
De acordo com o delegado Rogério Menezes, a operação é um desdobramento de outra ação realizada com o apoio de policiais militares da 24ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), em fevereiro, quando outros seis integrantes da quadrilha foram presos, no povoado do Pontilhão, em Jacobina.

Entre os presos estava Olavo Lima da Silva, o “Lavo da Vila Feliz”, 25, que estava em liberdade condicional depois de ter sido preso por tráfico e porte ilegal de arma, em 2012. Segundo a polícia, “Lavo” era o responsável por recrutar novos integrantes para a quadrilha, além de ordenar execuções de traficantes rivais e coordenar a distribuição de drogas em vários pontos da cidade.

Uma pistola 380, com dez munições, oito “papelotes” de cocaína, sete pedras de crack, uma “peteca” de maconha e sementes da erva, além de quatro celulares e uma motocicleta foram encontrados com ele.

A polícia suspeita que a quadrilha também possa estar envolvida em assaltos a postos de gasolina, na região de Jacobina.

 

 

Matéria Original: Correio 24h

Bandidos fazem buraco e roubam caixa eletrônico em Santa Cruz Cabrália

Os ladrões estavam armados, mas ninguém ficou ferido

Um caixa eletrônico em um posto de gasolina foi arrombado em Santa Cruz Cabrália, extremo sul da Bahia, na madrugada desta quarta-feira (9).

Os dois suspeitos fizeram um buraco no caixa usando uma furadeira e removeram uma quantia não divulgada pelo banco. Depois, os ladrões ainda roubaram os funcionários do posto de combustível. Eles chegaram e fugiram em um Fiesta vermelho.

O local tem câmeras, mas os ladrões viraram as câmeras para cima para evitar filmagens.

Os ladrões estavam armados, mas ninguém ficou ferido.

Chuvas
Cabrália está em estado de emergência por conta das chuvas.  De acordo com a Defesa Civil, até o momento foram contabilizados 1047 afetados pelas inundações e deslizamentos de terra.

Nenhuma pessoa ficou ferida por conta do desastre natural, que danificou 301 habitações ao todo. Entre elas, 62 tiveram danos parciais e 11 foram completamente destruídas por deslizamentos de terra. Além disso, uma sede do Programa Saúde da Família, quatro escolas públicas e um orfanato que recebia 14 crianças foram atingidos.

 

Matéria Original: Correio 24h

Mulheres relatam casos de abuso sexual dentro de coletivos em Salvador

Quase todas as mulheres, em situações de aglomeração, convivem com homens desagradáveis que insistem em se esfregar nelas. No transporte público, a prática é comum

Às 7h, com uma sensação térmica de quase 40°C, os dois corpos seguem quase colados. De repente, a mulher sente uma pontada – vinda do homem logo atrás. Isso não seria um problema se ela tivesse consentido. Mas não foi assim que aconteceu. O cenário era o ônibus que fazia a linha Lapa-Camaçari. E o clima era de qualquer coisa, menos de sedução. Era assédio.

“Primeiro, eu fiquei com medo. Depois, veio a raiva. Muita raiva”. Essa foi a definição da universitária Luísa*, 21 anos, para o que sentiu depois do abuso que sofreu no caminho para o trabalho, em outubro do ano passado. “O ônibus estava cheio, então eu tentei não ficar paranoica. Mas, numa curva, ele encaixou em mim,  literalmente. Fiquei com medo, porque não conseguia ver o tamanho dele, não conseguia ver nada”.

Infelizmente, Luísa estava frente a um adepto do que os médicos chamam de frotteurismo. Isso nada mais é do ato de se esfregar em uma pessoa sem o seu consentimento, geralmente em locais com grande aglomeração, como ônibus, trens e metrôs. Na linguagem das ruas, ela tinha acabado de receber uma encoxada.

Nas últimas semanas, o tema dominou o noticiário nacional. As histórias começaram a surgir depois que um universitário desempregado foi preso após tentar estuprar uma mulher dentro de um trem de São Paulo.

Histórias

Esse foi um caso com repercussão. Mas não está isolado. No final do mês passado, Nilton Oliveira Figueiredo, 34 anos, foi preso depois de abusar de uma estudante de 19 anos em Teixeira de Freitas, no Extremo Sul do estado.

De acordo com a polícia, a estudante disse que já estava sendo seguida por Nilton antes mesmo de entrar no ônibus. No veículo, o homem sentou ao lado de sua vítima. Sem se intimidar, tirou o pênis da calça e tentou esfregar nas pernas da jovem. Assustada, a garota saiu gritando e chorando. Foi quando outros passageiros conseguiram contê-lo.

Como no caso de Teixeira de Freitas, outra estudante, Bianca, 22, não imaginava que se tornaria mais vulnerável justamente ao sentar em um banco do coletivo parcialmente cheio.  Em dezembro do ano passado, ela pegou um ônibus no Campo Grande, ao sair da aula na Universidade Federal da Bahia (Ufba), às 22h30.

“Sentei onde tinham duas cadeiras vazias. Tinha um cara de uns 35 anos, relativamente bem vestido, me olhando, mas ele estava na frente do ônibus. Depois, ele levantou e veio sentar ao meu lado. Fiquei em choque”, lembra. Bianca diz que tentou ficar o mais próximo possível da janela – e distante do homem. Quando ele deixou as mãos próximas da região genital, ela entendeu.

“Ele olhava para mim e cochichava coisas, como se estivesse falando sozinho, enquanto mexia a mão. Depois, ele começou a mexer a mão demais e eu vi que a braguilha da calça dele estava aberta”. Mesmo assim, a primeira reação de Bianca foi a negação. Ela se recusava a acreditar que aquilo estava acontecendo.

“Quanto mais nervosa eu ficava, mais parecia que ele tentava esconder menos. Tentei ignorar, porque parecia que o meu nervosismo estava deixando ele excitado”, relata. Daí, ela não aguentou. Levantou e fez o resto da viagem até o Costa Azul em pé, ao lado do motorista – mas sob o olhar vigilante daquele homem que ela quer esquecer.

Para sorte de Bianca, o motorista parece ter compreendido que alguma coisa estava errada. “Pedi para ele parar o ônibus na frente de casa. Desci chorando. Minha vontade era de voar no pescoço dele, mas fiquei paralisada de medo”, conta a estudante, que não pega  mais ônibus daquela linha. Casos como os de Bianca, em que o homem chega a manusear o próprio pênis, são menos comuns, mas isso não é sinal de tranquilidade nos ônibus de Salvador.

A falta de dignidade nos coletivos lotados é tudo que um adepto do frotteurismo precisa para tentar uma encoxada. “É de uma forma bem discreta. Nada de ficar empurrando. Mas tem muita mulher que gosta e passa despercebida”, tenta justificar o empresário Jonas*, 33, confessando as encoxadas.

Se tem quem goste, não é o caso da  universitária Isadora*, 20. “Eu tomo cuidado, mas diria que isso acontece umas duas vezes por mês. Os mais comuns são aqueles que fazem questão de se esfregar por trás. Mas também tem aqueles que ficam em pé, esfregando ‘as coisas’ na  minha cara, quando estou sentada”, conta.

Ela nunca teve coragem de reagir. “Não importa se são mais leves e não tem uma pior. São sempre revoltantes”, desabafa Isadora.  “Me sinto pequena, diminuída. Mas fico com medo da reação da pessoa, caso eu reaja”.

Os agressores não se importam com lugar. No final do ano passado, Gabriela*, 20, foi surpreendida dentro do ônibus Buzufba, exclusivo de alunos da Ufba. E não foi só uma, mas duas vezes.

Numa dessas, o homem ficou atrás dela, segurando o ferro do ônibus de uma forma que as duas mãos da estudante ficaram entre as dele. Foi a posição ideal. “Quando percebi, tive que me abaixar para passar por baixo do cotovelo do tarado, que continuou na posição. Pouco depois, ele desceu, ainda deu uma última esfregada na minha bunda”.

Apesar da revolta, nenhuma das vítimas ouvidas pelo CORREIO denunciou o abuso à polícia.

*Nomes fictícios

Páginas de incentivo à prática somem depois de prisões

Em São Paulo, os encoxadores ganharam destaque depois que o universitário desempregado Adilton Aquinio dos Santos, 24, foi preso em flagrante por tentar estuprar uma mulher de 30 anos, dentro de um trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Usando o aperto como disfarce – e como desculpa – Adilton fingiu que estava com uma faca e mandou que a mulher abaixasse a calcinha, até que ele ejaculasse.

Ele ainda tentou arrancar a calça da vítima, mas foi impedido por outros passageiros, que começaram a agredi-lo. Depois de ter sido preso, Adilton não teve problemas para admitir o que tinha tentado fazer: “Infelizmente, foi um fato. Estava muito apertado (no trem) e eu não aguentei”. Só na semana passada, outras 25 pessoas foram presas na capital paulista – todas acusadas de assediar mulheres no transporte público.

Desde então, o método dos encoxadores se tornou público. Homens usavam celulares e câmeras fotográficas para registrar os abusos. Depois, postavam em redes sociais, como Facebook e Whatsapp. Só no Facebook, até duas semanas atrás, mais de 50 grupos e páginas reuniam os assediadores dos meios de transporte.

Uma única página que estimulava esse tipo de assédio, intitulada Encoxadores, chegou a ter 12 mil seguidores. Com a atenção da polícia, as páginas foram excluídas. Mas foi tarde demais para Daniela*, 23 anos. “Chamar de encoxada é pouco para o que eu recebi”.

Assim como a vítima de Adilton, Daniela estava em um dos trens da CPTM. Ela voltava do trabalho, às 22h, no ano passado. “Estava sentada, quando um homem sentou do lado. Ele colocou a mochila no colo, mas vi que ele colocou seu órgão para fora. Senti uma coisa no pé. Quando fui ver, ele tinha ejaculado”. O desespero veio quase ao mesmo tempo em que a chegada em uma estação – a deixa para a fuga do homem.  “Foi horrível”.

*Nome fictício.

Ipea: pesquisa com índice errado gera polêmica

Depois de divulgar um estudo que indicava que a maioria dos brasileiros concordava que mulheres de roupa curta deveriam ser atacadas, há cerca de duas semanas, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) informou, na última sexta-feira, que os dados apresentados estavam errados.

Inicialmente, o órgão havia informado que 65% dos entrevistados concordavam que mulheres de roupa curta merecem ser atacadas. Nas redes sociais, o resultado foi imediato: em Brasília, a jornalista Nana Queiroz lançou a campanha #EuNãoMereçoSerEstuprada, que ganhou repercussão em todo o Brasil. Até a presidente Dilma Rousseff manifestou sua indignação, no Twitter.

Porém, uma semana depois, o Ipea voltou atrás: o número correto de brasileiros que concordaram foi de 26%. Assim que o erro foi constatado, o diretor de Estudos e Políticas Sociais do órgão, Rafael Guerreiro Osório, pediu exoneração do cargo.

“Foi o famoso erro de planilha. Agora, não muda a conclusão geral, de que existe certa tolerância com a violência contra a mulher”, afirmou o presidente do Ipea, Marcelo Neri. Ainda assim, o instituto afirmou que outro número preocupante é real: 58% dos entrevistados acreditam que se as mulheres soubessem se comportar, haveria menos estupros.

 

 

 

Matéria Original: Correio 24h

Rachel Sheherazade desmente notícia de que foi afastada de jornal no SBT

“Estou de férias e volto à bancada do ‘SBT Brasil’ no dia 14 de abril”, garante jornalista

A apresentadora Rachel Sheherazade desmentiu a  informação de que teria sido afastada pelo SBT por conta da polêmica causada por um comentário em que justifica a ação de rapazes que prenderam um assaltante a um poste. Segundo a notícia, a âncora do “SBT Brasil” teria sido afastada do telejornal por conta da pressão de parlamentares e ameaça de perda de verba publicitária.

Em sua página no Facebook, Rachel desmentiu que esteja afastada e explicou que está de férias. “Mais uma vez desfazendo boatos. Estou de férias e volto à bancada do ‘SBT Brasil’ no dia 14 de abril (segunda-feira)”, escreveu. Em outra rede social, o Instagram, a jornalista tem postado imagens de sua viagem pelo Nordeste – na quarta-feira ela esteve em Recife e no domingo estava em João Pessoa. “Em João Pessoa, terra do sol! Minha terra querida!#sombraeaguafresca”, escreveu.

A assessoria de imprensa do SBT confirma que a apresentadora está de férias desde o dia 31 de março. Ao portal Imprensa, a emissora afirmou que a apresentadora teve o período de férias definido para agora para não coincidir com o início da cobertura da Copa do Mundo.

A informação do afastamento de Rachel foi dada pelo colunista do Uol Ricardo Feltrim. Segundo ele, comissões parlamentares pressionaram a emissora, que também poderia perder mais de R$ 150 milhões em verbas publicitárias do governo. A ideia seria remover, ainda que temporariamente, Rachel do “SBT Brasil”.

Além destas pressões, o SBT também é alvo de investigação pela Procuradoria Geral da República, por suposta apologia ao crime, devido aos comentários de Rachel.

 

 

Matéria Original: Correio 24h

JOGADOR DE ITAPETINGA DESTACA GRANDE FASE VIVIDA NO PALMEIRAS

Mesmo podendo perder o status de titular na lateral direita do Palmeiras, o polivalente Wendel apoia a contratação de um reforço para o setor, uma das principais prioridades da diretoria para a disputa do Campeonato Brasileiro – o Verdão estreia diante do Criciúma, dia 20, fora de casa.

Por outro lado, o volante de origem que trocou de posição por necessidade do Verdão avisa que um possível novo nome terá de suar para conseguir a titularidade na posição.

- Tem que ter jogadores. Tem eu e o Bruninho (Oliveira), que é da base. Tem de ter mais um lateral de nível para jogar, porque o elenco precisa de nível. Para jogar vai ter de vir e se sacrificar, porque estou numa grande fase.

Jorge Moreira, do Libertad (PAR), é um dos nomes desejados por Gilson Kleina para a lateral. Um centroavante também faz parte dos planos.

Recuperando-se de lesão na coxa direita, Wendel não atuou nas últimas duas partidas: na vitória por 2 a 0 sobre o Vilhena-RO, na quarta-feira passada, pela primeira fase da Copa do Brasil, e na derrota por 1 a 0 para o Ituano, também no Pacaembu, que culminou com a eliminação no Campeonato Paulista.

- No finalzinho das quartas de final contra o Bragantino eu senti uma leve pegada no posterior da coxa. O planejamento era jogar o último jogo da final contra o Santos, mas não deu certo de ficarmos no Paulista.

NOTA: Wendel é itapetinguense e filho de um conhecido comerciante do Bairro Nova Itapetinga.

 

 

Matéria Original: Itapetinganamidia

Ladrões que assaltavam Correios usando farda da PM são presos na Chapada

Rennan e Wiliam são foragidos do presídio de Irecê e são responsáveis por vários crimes

Dois ladrões foram presos na madrugada deste sábado (5) depois de assaltarem uma agência dos Correios usando fardas da Polícia Militar da Bahia, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF). A dupla agia na região da Chapada Diamantina e foi detida na BR-242 depois de uma denúncia.

Segundo a PRF, uma denúncia anônima indicou que os ladrões estariam perto de um posto de combustíveis. A polícia saiu em buscas e localizou os dois suspeitos, Rennan Silva Nascimento, 24, e Wiliam Claudino Dantas, 21, na altura do KM 370 da BR-242. Eles estavam com uma moto Honda NHR 150 roubada na manhã de ontem em Cafarnaum. Além disso, portavam uma pistola calibre .380 e um revólver calibre 32 e traziam cerca de R$ 1.150, que segundo eles é parte do dinheiro roubado de uma agência dos Correios em Morro do Chapéu.

A PRF apreendeu ainda fardamento da PM-BA, que os suspeitos confessaram terem usado durante o roubo à moto e à agência dos Correios. Rennan e Wiliam foram presos em flagrante. Um terceiro suspeito de participar do assalto à agência dos Correios fugiu com outra parte do dinheiro roubado e uma pistola logo depois do crime.

No celular de Rennan, a polícia encontrou uma foto dele trajando a farda da PM. Ele disse que pagou R$ 1 mil pelo fardamento.

Rennan e Wiliam são foragidos do presídio de Irecê e são responsáveis por vários crimes, incluindo o assassinato de duas pessoas e vários assaltos a agências dos Correios no interior baiano. Todo o material apreendido, bem como os suspeitos, foram encaminhados para a delegacia de Seabra.

 

Matéria Original: Correio 24h

Calendário
abril 2014
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
Eventos
Parceiros